Cooperativas escolares

Prof. Me. Everaldo Marini (Pesquisador e Coordenador de projetos relacionados às Cooperativas Escolares)



As Cooperativas Escolares são associações de estudantes com finalidade educativa, podendo desenvolver atividades econômicas, sociais e culturais em benefício dos associados. Em sua essência, buscam formular uma proposta pedagógica com a participação do corpo discente em atividades práticas.

Tem como principal objetivo, oportunizar aos jovens uma formação que contribua com o desenvolvimento de futuros líderes, gestores, empreendedores e cidadãos com senso de responsabilidade e participação, através da vivência de um modelo cooperativo sustentável.

As Cooperativas Escolares constituem uma proposta de transformação social e econômica na vida das pessoas que transcende as propostas pedagógicas tradicionais. Está inspirado, em parte, no pedagogo francês Célestin Freinet e nas experiências da cidade argentina de Sunchales bem como em projetos do Programa A União Faz A Vida das Cooperativas do Sistema Sicredi. Com base nessas vertentes as Cooperativas Escolares promovem com o Programa A União Faz a Vida a Formação de Mobilizadores Sociais, a Educação Financeira e o Empreendedorismo como tríade desta proposta pedagógica.

Além disso, o caráter formativo dos cursos e do projeto enquanto tal tem por finalidade a promoção da convivência, o respeito mútuo, a solidariedade, promoção da justiça social, igualdade, autonomia, a cooperação e a realização de objetivos comuns. Nelas, o caráter educativo, espírito cooperativo e o movimento entre o saber e o fazer são inerentes e constantes. Através desses momentos de aprendizagens é proporcionada na gestão das cooperativas escolares a vivência dos sete princípios do cooperativismo: 1º Adesão voluntária e Livre; 2º Gestão democrática pelos membros; 3º Participação econômica dos membros; 4º Autonomia e Independência; 5º Educação, formação e informação; 6º Intercooperação e 7º Interesse pela comunidade.

No contexto atual onde se posicionam políticas econômicas que nem sempre promovem a inclusão social, o Cooperativismo vem conquistando espaços por ser social e economicamente mais justo e equilibrado.

Nesse sentido, as cooperativas escolares constituem um excelente laboratório de aprendizagem dessas propostas. Através delas os alunos tomam conhecimentos relacionados à autogestão, ao empreendedorismo, a educação financeira e a valorização e respeito do Outro. Não menos importante, nas escolas onde florescem as cooperativas escolares os alunos engajados melhoram o rendimento escolar.